Catarse

Chegamos ao Ruace, distrito do Gurué, província da Zambézia. Para trás, à esquerda, os campos que noutros tempos alimentavam os moradores da aldeia estão hoje cobertos de soja. É essa a herança visível das “promessas doces” feitas pela empresa de agricultura intensiva Hoyo Hoyo. O frenesim nas ruas anuncia que a missa de Domingo está prestes a começar, só as 44 pessoas reunidas no edifício da antiga escola quebram a normalidade. 10 anos depois, perdido o que havia para perder, o medo de falar desnudou-se. A sua revolta já não tem filtros, querem “descarregar”.